quinta-feira, 20 de novembro de 2014

"MEMÓRIAS DE CHOCOLATE"

Ontem terminei a leitura do livro "Memórias de Chocolate", de Diana Carvalho, uma nova escritora apoiada pela Chiado Editora.

Este pequeno livro de 106 páginas conta a história da vida de Miriam, destacando-se a sua relação com
Tiago e alguns acontecimentos importantes da vida dos dois e dos filhos.
Miriam é Bióloga e leciona numa Universidade em Leiria quando conhece Tiago. Apaixonam-se, casam-se, têm dois filhos e são felizes durante uns anos, até que Miriam descobre as traições do marido.
A partir daí, uma série de acontecimentos surgem na vida das personagens, mudando o rumo das suas vidas.

Para dar a minha opinião sincera sobre este livro, tenho de reparti-la em duas partes (escrita e enredo) e esperar não ferir suscetibilidades, garantindo que me custa não poder apenas dizer "bem".

Começo por avisar que é muito difícil dissociar-me da minha profissão quando estou a ler. Sou professora de Português e os erros na escrita fazem parte do meu dia a dia, pelo que não consegui ficar indiferente aos que encontrei neste livro. Confesso que detetá-los acabou por condicionar bastante o meu interesse na história, pelo que me custa a perceber como podem ser editadas obras sem uma revisão cuidadosa a este nível. Não me refiro a erros no discurso por estilo literário do escritor... (para isso leio o grande Saramago e acrescento-lhe várias vírgulas e outros sinais de pontuação, tornando a sua escrita mais "acessível" a todos). Mas uma revisão bem feita ao nível da ortografia, da semântica e da sintaxe daria mesmo maior credibilidade a este livro e, consequentemente, à editora que o representa.

Em relação à história, penso que tem boas bases e que aborda temas muito interessantes, mas está contada de forma muito superficial e resumida, não dando para conhecer bem as personagens, envolver-nos nas vidas e pensamentos, vivenciar os (muitos) acontecimentos, criar expetativas e surpreender-nos.
As personagens e os episódios das suas vidas quase se atropelam, não havendo espaço e tempo para saboreá-los.

A escritora tem potencial e esta é a sua primeira obra, pelo que me aventuro a dizer que talvez precisasse de mais tempo para o lançar e de maior apoio na sua publicação.
Penso que, se fosse melhorado nos aspetos que refiro, teria boas propabilidades de se tornar um bom livro de 400 páginas, com um enredo rico e criativo.

Sem comentários :

Enviar um comentário