sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

"MESTRE CARBONO, O CIENTISTA" - COM SUGESTÕES DE ATIVIDADES

Como mãe e professora de crianças pequenas tenho tido o privilégio de poder fazer algo que me dá imenso prazer: ler histórias.
Não sou uma "contadora de histórias" nata, daquelas que conta de cabeça, que cria no momento com muita imaginação e cor. Não tenho esse dom, (posso dizer que) infelizmente.
Mas adoro agarrar num livro e partilhá-lo com as crianças, lendo-lhes a história como se ela nascesse de mim, mostrando imagens, explorando sons, entoando, construindo vozes, recriando movimentos. Posso dizer que gosto de ser "contadora de livros".
Os livros são a minha onda. A escrita é a minha praia.
Adoro os olhinhos brilhantes das crianças quando lhes leio uma história, quando dou vida a uma história, trazendo-a para fora do papel.
E adoro também quando pego nessa história e a exploro em várias direções, muitas vezes partindo delas para projetos de ensino envolventes, que reúnem várias aprendizagens, de várias áreas e que conjugam os interesses das crianças e as suas necessidades à riqueza do livro e da história, partindo para a construção das aprendizagens. Adoro, mesmo!
(Infelizmente, as mudanças constantes no sistema educativo, a complexidade crescente do currículo, o tamanho exagerado dos programas e as burocracias que consomem mais do que deviam, permitem cada vez menos que o ensino seja uma construção de saberes integrados e mais uma exposição de conteúdos desinteressantes. Mas este desabafo talvez fique para outro post!)

Decidi então juntar o útil ao agradável e modificar um pouco os posts que faço sobre livros do género infanto-juvenil, alguns deles ganhos em passatempos, outros oferecidos por editoras ou por autores e outros que vou adquirindo para contar aos alunos ou sobrinhos.
Assim, quando vos falar sobre um destes livros, poderei também deixar aqui algumas sugestões de atividades a desenvolver a partir da leitura dos mesmos. Serão sugestões minhas de atividades, a partir de ideias que me vão surgindo quando estou a ler. Quem quiser, poderá pegar nelas e usá-las junto com os livros, adaptá-las, partir delas para inventar outras, melhorá-las, guardá-las ou partilhá-las com amigos e colegas. Tenham a liberdade de aceitar (ou não) as minhas sugestões e deixem-me outras (em comentário ou por mail).

E aqui fica a primeira experiência!

O último livro que li da categoria infanto-juvenil foi "Mestre Carbono, o Cientista", de Filipe L. S. Monteiro, editado pela Chiado Editora, quanto a mim destinado principalmente a crianças/adolescentes do sexo masculino, com idades entre os 10 e os 13 anos. (Não querendo dizer, obviamente, que não será do agrado de raparigas e de outras faixas etárias.)

http://www.wook.pt/ficha/mestre-carbono-o-cientista/a/id/16269391?a_aid=504f0b37ec946
"Mestre Carbono, o Cientista" tem como cenário um laboratório, onde três cientistas fazem as suas investigações e experiências.

No entanto, não são os únicos empenhados nessas descobertas. Durante a noite, têm uma grande ajuda de pequenos habitantes do laboratório, que se empenham na investigação, chefiados pelo "Mestre Carbono".

Este é um livro delicioso!

Tem 92 páginas, mas nem todas são de texto, uma vez que as divertidíssimas, apelativas e contemporâneas ilustrações, de Ana Beatriz Marques, fazem a delícia de cerca de metade do livro.

A história é imaginativa e cativante, prendendo-nos da primeira à última página.
Referindo conceitos de química que fazem muitas vezes o fascínio dos miúdos, parece-me uma boa forma de motivação para as aprendizagens desta área. Os conceitos aparecem bem integrados na história, que poderá ganhar ainda um maior significado para os jovens que já os conhecem um pouco. No entanto, penso que também suscitará imensa curiosidade em todos os outros que tenham o prazer de ler (ou ouvir ler) este livro.
Gostei muito da escrita de Filipe L. S. Monteiro, a qual achei muito acessível, dinâmica e rica.
A integração de novos vocábulos, que poderão não ser conhecidos do público-alvo, aparece bem contextualizada e com a excelente ajuda de um glossário incluído no final da obra.
O uso de cores diferentes nos parágrafos torna a leitura ainda mais leve e motivadora.
As imagens estão bem integradas no texto e complementam-no a vários níveis.

Aconselho a leitura deste livro e que o mesmo esteja na base de algumas atividades, se usado como leitura partilhada em sala de aula.

SUGESTÕES DE ATIVIDADES

Sugestão 1:
- descobrir se os alunos conhecem as palavras “átomo” e “molécula” e apontar o que pensam ser;
- pedir que leiam as definições do livro e chegar a uma definição que todos entendam, a partir de ideias dos alunos;
- escolher um símbolo simples para os diferentes átomos que vão aparecendo na história, identificando-os também com a letra real que os representa;
- reler as páginas e descobrir as moléculas a “construir” com esses átomos, representando-as esquematicamente no (primeiro com letras e depois com os símbolos definidos);
- construir as moléculas (com plasticina, pasta de moldar, materiais de desperdício, etc.) - trabalho de grupo.

Sugestão 2:
- desenhar um cientista, da forma que o imaginam (antes de conhecer o livro);
- ler a história;
- ver fotos reais de cientistas mais famosos e dos mais atuais;
- voltar a desenhar um dos cientistas da história;
- Conversa/debate sobre as características de um bom cientista e do mito do “cientista maluco”.

Sugestão 3:
- identificar as principais ações erradas da comunidade que prejudicam o ambiente;
- identificar as suas soluções;
- escrever frases para incentivar a fazer comportamentos corretos;
- montar cartazes publicitários;
- fazer uma pequena manifestação na escola ou no bairro envolvente.

Sem comentários :

Enviar um comentário