sábado, 9 de julho de 2016

"COMEÇAR DE NOVO", DE MARGARIDA FONSECA SANTOS

Já tive o prazer de conhecer pessoalmente a escritora Margarida Fonseca Santos, numa formação na Biblioteca Municipal da Moita, onde, curiosamente, comprei o meu primeiro romance escrito por ela, sobre o qual venho agora escrever.
Literariamente, conheço esta autora há mais de 15 anos, através das maravilhosas obras intantojuvenis  que escreveu, as quais tenho trabalhado com prazer com os meus alunos em sala de aula. Destas, destaco "Uma prenda muito especial" e "Conversa de elefantes", de que gosto especialmente e cuja leitura aconselho a todas as crianças.

O romance "Começar de novo" foi uma agradável confirmação da capacidade que Margarida Fonseca
Santos tem para prender os seus leitores, independentemente da idade, através de uma escrita sentida e envolvente, que nos leva também a pensar na vida e nos valores aos quais damos (ou deveríamos dar) importância.

Este livro conta-nos a história do recomeço de vida de duas pessoas que, após a rutura de uma relação de anos, decidem mudar e lutar pela felicidade.
Duarte e Sofia, duas pessoas sofrendo com uma traição por parte de quem amam, cruzam-se num elevador e estabelecem desde logo uma relação de amizade com base na empatia mútua.
Para além dos dois, outra personagem principal surge também na história, acabando por serem as três um elo de ligação entre todos.
E no seio destas amizades, o amor (re)aparece e agita a vida dos três, acabando por levá-los à descoberta do amor e do perdão, em busca de uma nova oportunidade.



Tenho de começar por dizer que gostei bastante de ler este livro e de conhecer a forma de escrever para adultos de Margarida Fonseca Sabtos.
Este livro, escrito de forma simples mas cativante, conta-nos uma história leve mas que nos faz acreditar que é sempre possível voltar a amar e que nos relembra dos "milagres" possíveis de acontecer quando aceitamos esse amor.
A autora dá privilégio aos diálogos, em detrimento de descrições muito precisas, através dos quais vai sabiamente dando a conhecer as personagens e revelando as suas relações. Complementa as "falas" com uma narração realista e (quase) visível das ações e espaços que as enquadram, dando-lhes vida, cor e sons.
Duarte, Sofia e Quim são personagens reais e que se aproximam muito do leitor. São pessoas comuns, como nós ou como alguém que conhecemos. As suas histórias de vida são também comuns e reais, mas o enredo que a autora faz delas e a forma como o mesmo nos ensina (ou relembra?) sentimentos nobres para além de nós mesmos torna o livro num precioso companheiro de agradáveis horas de leitura.
Gostei de o ler e fiquei com muita vontade de conhecer outros romances da autora.
Obrigada, Margarida!

5 comentários :

  1. Marisa, nem sei bem o que dizer, fiquei tão comovida e feliz, obrigada! Acredito nas pessoas, acredito no que se pode mudar quando se luta por isso, como os afectos são a chave para uma vida melhor. Custa-me um mundo onde a pressa substitui a amizade e a insegurança destrói relações. Uso a arma que posso, escrevo.
    Como deve imaginar, ler estas suas linhas, escritas com um cuidado tão especial e com tanto carinho pelo que faço, deixa-me muito grata e a conseguir acreditar que vale a pena. Bem-haja.
    Um grande beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa tarde Margarida!!
      Que orgulho receber um comentário seu!!
      Gostei tanto, tanto.
      Obrigada por tudo.
      Beijinhos

      Eliminar
    2. Fiquei tão contente, fico tão contente. Obrigada, um grande beijinho e parabéns por este espaço!

      Eliminar
  2. Parece interessante. Tenho de ler.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mesmo bom!!
      (Se quiseres, eu empresto-te!)
      Beijocas

      Eliminar