segunda-feira, 31 de julho de 2017

IVETE SANGALO NO MEO ARENA


No sábado fui com o meu amor Luís ao concerto de Ivete Sangalo, no Meo Arena, promovido pela emissora Tropical FM.
Chegámos lá por volta das 19h30 e as portas já estavam abertas.
Os nossos bilhetes eram para a plateia, pelo que ficámos quase próximos do palco e deu para aproveitar bem as duas horas e tal de espera pela grande diva da música brasileira.
No palco, a animar o pessoal, estava uma equipa de monitoras de um ginásio, que desafiavam todos a uns passos de zumba. O ambiente era já muito empático, descontraído e alegre.

Seguiram-se dois pequenos concertos de Adriana Lua e de Paulo Sousa, os quais também agradaram bastante a toda a plateia, que dançou e cantou as suas canções.
Não conhecia a cantora brasileira, nem as suas músicas, mas gostei da sua voz e da forma animada como dinamizou o concerto e interagiu com o público.

Também não conhecia o cantor português Paulo Sousa, mas percebi que muitas das suas músicas são bastante conhecidas do público em geral. Inclusivamente, algumas fazem (ou fizeram) parte das bandas sonoras de novelas portuguesas, como é o caso de «Eu não vou» (de «Ouro Verde»), de «Todos os Dias» (de «Massa Fresca») e de «Onde Quero Estar» (de Santa Bárbara»).
Gostei muito de o ouvir. Tem uma voz muito bonita e afinada. Pareceu-me pouco à vontade em cima do palco e na interação com o público. Talvez tenha pouca experiência em palco.


Depois de alguns momentos de espera, acompanhados por música que toca na Tropical FM, foi com grande euforia que recebemos a grande estrela da música brasileira, que encheu o palco com a sua alegria contagiante, o seu ritmo frenético e a sua energia positiva e brilhante.
Ivete Sangalo é uma cantora magnífica, com uma voz extraordinária e uma presença magnificente em palco. É bonita e vibrante, tem um sorriso encantador e espalha jovialidade e força de viver.
Cantou os seus temas mais conhecidos, principalmente os mais alegres e animados, intercalando entre antigos e recentes.

Para mim, houve dois momentos altos no concerto: um a nível geral e outro particularmente.
Um dos momentos foi a homenagem que Ivete Sangalo fez à sua carreira, cantando os seus primeiros temas (ainda como vocalista da «Banda Eva») e outros que a tornaram a diva da música brasileira. Enquanto cantava, íamos vendo imagens suas (entre fotos e vídeos), projetadas no fundo do palco. Foi um momento muito bonito, que valorizou o seu trabalho e nos deu a conhecer um pouco melhor a artista, através de uma retrospetiva interessante.
Pessoalmente, tenho de destacar o momento em que Ivete Sangalo cantou o tema «Quando a chuva passar», num ambiente de romance e ternura, com muitas luzinhas acesas e uma energia de amor no ar.
Adoro este tema e foi impossível não me emocional gigantemente ao ouvi-lo cantado ao vivo. É uma música com um enorme e importante significado para mim e para o Luís, que só nós dois compreendemos e vivenciamos, por isso foi um momento mágico e único para nós, quase como um hino ou um «dar Graças».

Contagiada que estou ainda pela maravilhosa noite de sábado, apetece-me já começar a planear o próximo grande concerto... Será com Shakira?







Sem comentários :

Enviar um comentário